Voltar

NAVIOS E PORTOS DO BRASIL
Nos cartões-postais e Álbuns de Lembranças
João Emilio Gerodetti e Carlos Cornejo


BRABANTIA
Lançado ao mar em 30 de março de 1914, pelo estaleiro A. G. Weser, de Bremen, na Alemanha, para a Hamburg-Amerika Linie, seu nome original era William O'Swald. Imponente com suas três chaminés, tinha 19.653 toneladas e acomodações para 355 passageiros na primeira classe, 284 na segunda, 469 na terceira e 857 emigrantes. Em 1916, durante a Primeira Guerra Mundial, foi transferido para o Lloyd Real Holandês para compensar a perda de navios de bandeira holandesa afundados por engano pelos alemães, já que a Holanda era país neutro. Rebatizado Brabantia, em 1920 passou a servir na linha sul-americana. Dois anos depois, foi vendido para a United American Line e, renomeado Resolute, começou a servir uma linha entre Hamburgo, Southampton, Cherbourg e Nova Iorque. Em 1926, foi readquirido pela Hamburg-Amerika Linie, mas mantido na mesma linha. Em 1935, foi vendido para o Governo italiano e convertido em navio-transporte, com o nome de Lombardia, operado pelo Lloyd Triestino, com capacidade para 4.400 efetivos militares, durante a Guerra da Abissínia, atual Etiópia. Em 1943, atingido por bombardeiros aliados, afundou no Porto de Nápoles. Em 1947, foi reflutuado e posteriormente demolido em La Spezia, na Itália. Na vista acima, aprecia-se o Brabantia atracado no Cais do Porto do Rio de Janeiro entre 1920 e 1922, período em que serviu a linha sul-americana do Lloyd Real Holandês.